sexta-feira, 6 de abril de 2018

Sinusi 2018

A SINUSI é um dos eventos mais esperados do ano aqui no Colégio Ideal e, este ano, tem como preocupação central o uso consciente e responsável da água. Essa questão nos afeta diretamente, neste momento de crise hídrica no DF, mas também está sendo ressaltada a nível global, como mostrou o Fórum Mundial da Água.

Nós, do Colégio Ideal, sabemos que uma pequena mudança de hábito em nosso dia a dia pode evitar o desperdício de centenas de litros de água. Cada ação, por menor que seja, contribui para alterar esse cenário de crise. Por isso, a nossa simulação será permeada pelo conceito de que uma gota muda todo o oceano.
Saiba como você pode participar desta edição e confira a nossa agenda!

Pais e familiares
Nossos diplomatas precisam de todo apoio possível! Confira a programação e esteja presente nos eventos abertos ao público.

Ex-alunos
Se você já se formou no Colégio Ideal e passou pela SINUSI, inscreva-se no Grupo de Apoio desta edição. Você auxiliará os alunos e professores durante a preparação e realização do evento.

Se você está cursando graduação em Comunicação, Design ou áreas afins, inscreva-se para ser editor(a) da Agência de Comunicação e coordenar o trabalho dos alunos participantes.

Com participação efetiva, cada ex-aluno receberá um certificado de horas complementares.

Alunos do Ensino Fundamental
A Sinusi Jr. é dividida em duas categorias: uma, para alunos do 6º e 7º ano do Ensino Fundamental, outra para alunos do 8º e 9º ano. Cada turma representará um país, dentro de sua categoria. E, para cada categoria, haverá um país vencedor. Confira, em breve, mais detalhes sobre a programação. A inscrição será efetuada após o pagamento da taxa no departamento financeiro (consultar valor da taxa no ato da inscrição).

Alunos do Ensino Médio
Quem quiser ser um diplomata na simulação deve se organizar em equipe que contenha de 18 a 25 alunos e se inscrever efetuando o pagamento da taxa junto ao departamento financeiro (consultar valor da taxa no ato da inscrição). Caso o estudante não possua uma equipe, deve fornecer os dados à coordenação. Cada equipe representará um país. Confira a programação abaixo.



Os alunos do Ensino Médio também podem se inscrever na Agência de Comunicação para atuarem como fotógrafos, repórteres ou designers durante a simulação. O trabalho consiste na produção de peças institucionais para os eventos da SINUSI, notícias para as redes sociais, atualização do blog e confecção de uma revista digital sobre esta edição.
Continue lendo ...

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Quando o público afirma, não há quem discuta!

Por Bárbara Cunha, repórter da Agência SINUSI 2017.
Fotografia por Carolina Rodrigues, fotógrafa da Agência SINUSI 2017

O público se expressou em relação às apresentações culturais, ocorridas de 26/06 a 29/06.


Durante quatro dias da semana passada (26/06 a 29/06), aconteceram as apresentações culturais da Simulação das Nações Unidas do Colégio Ideal (SINUSI). As unidades do Colégio Ideal – Taguatinga e Água Claras – e todos os anos – do 6º ano ao ensino médio – se apresentaram, e essas delegações deram o que falar.

Na segunda-feira (26/06), as apresentações do 6º e 7º ano de Taguatinga ocasionaram expectativas, por serem turmas com pouca ou nenhuma experiência com a simulação, mas não deixaram a desejar. Carla Cristina, mãe de aluna do 7°C, afirmou: “É muito bom ver os filhos da gente com responsabilidades desde cedo, e eles aprendem sobre o quão importante é aprender sobre a cultura de outros países, a partir das apresentações”.

Já na terça-feira (27/06), foi a vez do 8º e 9º ano de Taguatinga. As delegações mostraram extrema maturidade nas apresentações e surpreenderam com cenários e figurinos. A aluna Giovanna Gomes, do 3°D, que já participou da SINUSI diversas vezes, acredita que a mistura de todas a linguagens é capaz de gerar algo com resultados incríveis e encantadores, por serem feitos pelos Ensino Fundamental II.

Na quarta-feira (28/06), os alunos de Águas claras, que participaram do evento pela 1ª vez, estrearam o palco da SINUSI. Para os pais em geral, foi uma surpresa ver a dedicação dos filhos. Assim como os pais de Taguatinga, eles ressaltaram que, além dos jogos, a SINUSI frisa o enriquecimento cultural e, através das apresentações, é possível ver isso de uma forma divertida e diferente.

Na quinta-feira (29/06), em uma das noites mais esperadas pelos amantes das apresentações culturais, os alunos do ensino médio ultrapassaram as expectativas. Isso ocorreu porque as delegações foram capazes de transmitir as histórias dos países e toda a sua representação através de coreografias e elementos audiovisuais. Entretanto, para obter tais resultados, foi necessário muito esforço e, para isso, o apoio serviu de grande ajuda. 



Segundo as integrantes do apoio, Marina Braga e Thaís Brito, o apoio é um grande suporte para os alunos, pois além da dedicação deles, o grupo consegue ver pequenos detalhes e ajudar da melhor maneira possível, por ter um olhar de fora e por já ter vivenciado o evento. Por fim, a recompensa da experiência de retornar para ajudar na atual SINUSI são os resultados. Além disso, o mais importante é saber que todo mundo está em constante progresso, e que a SINUSI, como um todo, a cada ano evolui mais.
Continue lendo ...

terça-feira, 4 de julho de 2017

As reações aos resultados finais

Na tarde do dia 03/07 aconteceu a Assembleia Geral da SINUSI do Ensino Médio, na qual os discursos finais foram lidos, e os resultados anunciados..


No Centro Cultural do Taguaparque, após os discursos finais, as menções honrosas foram concluídas. Logo depois, vieram os esperados resultados classificatórios. As delegações foram qualificadas de acordo com a apresentação cultural, a ornamentação de sala, os destaques nos comitês e, por fim, o discurso final. Assim, cada etapa resultava em pontos, que foram somados. O resultado foi: França, Coréia do Sul, China, Japão, Índia, Estados Unidos da América, Brasil, Itália, Reino Unido, Alemanha e Rússia.

A ganhadora da SINUSI 2017, França, obteve destaque nos comitês em geral, com os alunos: João Victor Romanow (OMC), João Pedro Cardoso (OMS), Ana Luiza Araújo (Direitos Humanos), Victor Ramos (Meio ambiente), Beatriz Nunes (Economia e finanças) e Juliana Angelina (Crise hídrica no Brasil). Além disso, também conquistou menção honrosa pela ornamentação de sala e pelo discurso final, feito pelo aluno Victor Ramos e pela aluna Juliana Angelina, que valorizaram os comitês e o ponto de vista deles sobre todo o processo da SINUSI. No discurso, o grupo usou uma metáfora sobre o copo e a água, para demonstrar que a maneira como as coisas são vistas pode mudar tudo.

Ademais, o grupo ficou marcado pela música cantada por eles, que visava os ideais de igualdade, fraternidade e liberdade. Ainda, em todas as fotos da equipe, uma galinha de brinquedo estava presente. A aluna Ana Luiza Araújo, do 3° C, explicou que, em um dos ensaios, uma colega do grupo trocou o nome França por Franga e, a partir daquele momento, a brincadeira pegou. Ela também comentou sobre as várias dificuldades sentidas por eles, visto que a formação do grupo aconteceu a partir de dois grupos rivais se uniram, e os momentos em que pensaram em desistir, mas continuaram.

A delegação da Coréia do Sul também conseguiu menções honrosas nos debates com os alunos: Guilherme Dilan (Conselho de Segurança), Ana Lara Pereira (OMS) e Isabella Lopes (Meio Ambiente). O país também conquistou a menção honrosa referente à apresentação cultural, etapa na qual se destacou. Nela, o azul foi representado, como forte e imponente, representando a água, além da demonstração de como tudo surge a partir desse elemento. O aluno Guilherme Dilan, do 2° ano F, afirmou: “A SINUSI é uma experiência única em que você consegue descobrir o que quer da vida, assim, descobrir novas fronteiras e ultrapassá-las… Mesmo tendo ficado em 2° lugar, eu acho que o mais importante na SINUSI é o respeito”. Quando questionado sobre o que os levou ao resultado da apresentação cultural, o aluno brincou: “Briga, briga… A gente comia e brigava mais e comia de novo... Mas dedicação total, de 8h da manhã a 22h da noite… A gente briga, mas está todo mundo junto, a união é algo incrível”.

A delegação da China, que ficou em 3° lugar, teve como destaque o aluno Rafael Durval, com menção honrosa em relação ao comitê da crise hídrica no Brasil. O aluno Vinícius Braga, do 2° F, conclui sobre sua experiência no evento: “No começo, a SINUSI foi um pouco difícil, mas de acordo com que o grupo foi fluindo, as coisas foram andando… Algo que eu posso tirar como ensinamento dessa SINUSI é a dedicação e o respeito… Uma dica para as pessoas é saber que você vai se estressar, principalmente na ornamentação de sala, mas que vai ser gratificante”. O aluno também afirmou que a SINUSI é capaz de reunir pessoas com pensamentos diferentes em um grupo e, ainda assim, todos conseguem aprender mutuamente. Logo, para ele, o respeito é o mais importante da Simulação.
Continue lendo ...

Assembleia geral e expectativas

Por Bárbara Cunha, repórter da Agência de Comunicação
Fotos por Fernanda Luz, fotógrafa da Agência de Comunicação

Ontem (03/07) foi o fim da SINUSI do Ensino Médio e a Assembleia Geral teve como objetivo apresentar os discurso finais, no Centro Cultural Taguaparque.


A Assembleia Geral iniciou-se às 15 horas e uma delegação não estava presente, a delegação da Rússia. Portanto a ordem para os discursos finais foi a seguinte: Estados Unidos da América, Reino Unido, Índia, Brasil, China, Japão, França, Coréia do Sul, Alemanha e Itália.



A delegação dos Estados Unidos da América propôs, em seu discurso final, que todos saíssem do comodismo e propusessem soluções conjuntas, como foi feito na maioria dos debates. E ainda adicionou que, pactos mais eficientes que o Tratado de Paris fossem feitos. Tais como, a fiscalização e distribuição da água a partir da crise hídrica presente no Brasil. Eles também ressaltaram a necessidade da empatia humana e como isso é aplicado nas garantias igualitárias dos Direitos Humanos. Também em destaque nos debates da Organização Mundial da Saúde (OMS), os EUA ofereceram um acordo de transporte e fiscalização naval na África.



O Reino Unido apresentou em seu discurso pontos positivos e negativos de sua trajetória perante a SINUSI. Eles mostraram positividade e tiveram como aprendizado a importância de ter confiança e saber que de uma forma ou de outra irá dar certo. Na ornamentação da sala, a delegação do Reino Unido apresentou Contos de fadas e, por fim, agradeceu a ajuda do apoio, que, para eles, foi de extrema importância.



A delegação da Índia ressaltou o desenvolvimento tecnológico presente no país e a economia liberal em que se encontra. Nos debates da Organização Mundial do Comércio (OMC), ela apresentou medidas inovadoras para o livre comércio e posicionou-se contra a formação de cartéis. Já nos da OMS apresentou ajuda nos genéricos virais e no combate contra HIV, a partir do desenvolvimento de medicamentos. Nos debates do Meio Ambiente, a Índia, apesar de ter sua energia voltada para o carvão, promete, e já coloca em prática, o aumento do uso da energia solar.



O Brasil abordou em seu discurso, o reconhecimento das diversas culturas presentes no país. Na apresentação cultural - o Carimbó. A valorização de seu mérito ocorreu por se tratar de um grupo em que grande maioria dos integrantes é do 1° ano. No comitê que discutia a crise hídrica no Brasil eles apresentaram propostas de conscientização das pessoas. Já no Conselho de Segurança, eles ressaltaram o total apoio a fragmentação do Estado Islâmico. E, por fim, no comitê da OMS, o Brasil forneceu o transporte naval de medicamentos genéricos para o continente africano.



A China começou seu discurso agradecendo a SINUSI como um todo. No comitê da OMS, foi oferecido, juntamente com a Índia, um suporte financeiro de 2 bilhões de dólares para compra de medicamentos. Também foi proibido o teste em cobaias humanas. A delegação ofereceu ajuda no comitê dos Direitos Humanos com alimentos na guerra. No debate sobre a crise hídrica no Brasil, foi proposto o uso de medidas eficazes do próprio país e não externas. No comitê de Meio ambiente, eles ressaltaram o não uso da energia de hidrogênio por se tratar de uma fonte de energia utópica. A SINUSI os permitiu crescer como cidadãos e alunos, mostrando gratidão pelos diversos momentos vividos.



O Japão teve considerações no comitê dos Direitos Humanos em relação ao investimento na mão de obra Africana, para que isso diminuísse os índices de desemprego e em relação a alimentos transgênicos na região. Também ofereceram o uso da tecnologia para a dessalinização da água, juntamente com o Brasil e outros países. No Conselho de Segurança, que discutiu as relações com a Coréia do Norte, o Japão apoia sanções econômicas mais rígidas que visam aliviar os conflitos mundiais relacionados a armas nucleares. Já no debate de Economias e Finanças, um importante acordo foi estabelecido com a China para a plantação de futuras matérias primas querendo o desenvolvimento das duas nações.



No discurso da França, assim como na apresentação cultural e ornamentação da sala, o ideal “Fraternidade, Igualdade e Liberdade” foi ressaltado. No comitê dos direitos humanos, a França conseguiu fazer acordos com todas as delegações e propôs, como solução a longo prazo para a fome na África, o investimento no setor agrícola do continente. Na OMS, eles sugeriram o barateamento de vacinas e medicamentos e no comitê do Meio Ambiente, foram os pensadores da energia de hidrogênio, que deu o que falar no debate. Para finalizar seu discurso, usaram a metáfora do copo cheio em que tudo se baseia em uma forma de olhar, pois se há força para continuar e perseverança para sair da zona de conforto, é possível mudar o mundo.



No começo do discurso, a Coréia do sul usou a água para enaltecer o seu crescimento econômico e social. No comitê da OMS, a delegação forneceu uma rede de pesquisa, doação e distribuição de vacinas para a África, em acordo com a França, China e Índia. No Conselho de Segurança, eles foram contra a permanência de Bashar al-Assad no poder, por relacionarem-no ao Estado islâmico. Em relação a crise hídrica no Brasil, eles propuseram medidas emergenciais, como o uso do Proálcool e fornecimento de benefícios fiscais àqueles que usarem a água da chuva no setor agrícola. Para finalizar, o rio foi usado como guiador de fluxo do destino.



A Alemanha apontou em seu discurso que aprovou todos os projetos de resolução, justamente por buscar a paz. No comitê do meio ambiente eles fizeram acordos com a França e no Conselho de Segurança, apoiaram o menor uso de armas em decadência do terrorismo. No ECOFIN (Comitê Econômico e Financeiro), eles sugeriram a limitação da agências reguladoras. Finalizando com a importância do respeito aos países e a união da SINUSI.



A última delegação a discursar foi a Itália, que apresentou um discurso inovador e informal ganhado empatia dos demais delegados. O orador agradeceu o suporte da França e fez referências a antigas SINUSI, de forma divertida. Defendeu como ponto forte de sua delegação a ornamentação de sala que obteve ajuda do Apoio. E agradeceu a organização e o suporte oferecido pela SINUSI.
Continue lendo ...

domingo, 2 de julho de 2017

Mais do que uma junção de vozes

Por Marina Araújo, repórter da Agência de Comunicação.


O Coral Sonus encanta pais e alunos do Colégio Ideal em suas apresentações na SINUSI.



Regido pela Larissa Vitorino, o Coral Sonus esteve presente durante os quatro dias de apresentações culturais (26/06 a 29/06), realizando a abertura da cerimônia. No último dia (29), a Larissa contou que já havia sido regente de outros corais antes de ser professora.

Segundo a professora, a escola teve a ideia inicial, e propôs algum projeto. Assim, ela sugeriu um coral, no qual haveria alunos do 9° ano do Ensino Fundamental até o 3° ano do Ensino Médio.

Dessa forma, cada membro do coral passou por um processo para determinar a classificação da sua voz de acordo com o timbre. Em relação a isso, Larissa acrescentou: “eu sempre fiz questão que todo mundo entrasse, com a dificuldade que fosse”.

É evidente o carinho que os alunos sentem pela professora, e ela corresponde, com muito respeito. O coral contém a participação de, em média, 180 alunos, que ensaiam nas quartas-feiras às 14h30 no prédio tecnológico.

O projeto está em seu terceiro ano e participa de eventos da escola, como a SINUSI, e de cerimônias externas, como aconteceu no Hospital da Criança. Desse modo, as vozes encantam os pais e os alunos da escola, assim, o número de integrantes do coral aumenta a cada ano.
Continue lendo ...

sexta-feira, 30 de junho de 2017

As apresentações culturais do Ensino Médio

Por Camille D'arc, repórter da Agência de Comunicação

Na quinta-feira (29/06), o ginásio de esportes do Taguaparque foi palco para as apresentações culturais do Ensino Médio.



Para iniciar a celebração, ocorreu o desfile dos países, no qual cada delegação foi apresentada ao público. Após isso, o Coral Sonus, composto por alunos da instituição de ensino e regido pela professora de música Larissa Vitorino, interpretou o Hino Nacional Brasileiro e fez uma performance, sendo essa, seguida pelo discurso de abertura do professor Walmir. Além disso, a cerimônia de abertura contou também com a veiculação de um vídeo preparado pela Agência de Comunicação e pelo Grupo de Apoio, propagando os valores apoiados e compartilhados pelo evento, como o respeito, a solidariedade e a união.

A comissão da Índia abriu as apresentações e levou para o local a discussão acerca do papel da mulher em sua sociedade e a importância do empoderamento para combater a opressão. Logo após, as delegações da China e da França apostaram na exploração do aspecto cultural fortemente ligado ao aspecto histórico. Assim, analisaram os momentos de luta, em contraposição aos momentos de calmaria e glória, e demonstraram uma busca por princípios e valores considerados imprescindíveis.

Os grupos representantes do Japão e da Coréia do Sul apostaram no aspecto místico ligado à cultura de seus países. A delegação japonesa retratou, por meio de uma lenda, o início e o começo de tudo. Já a Coréia do Sul expressou a beleza e o valor do mais importante rio de seu país. Contudo, as duas equipes exploraram a perspectiva histórica, seja ao retratar uma das piores tragédias da humanidade, seja ao exibir um rei como personificação de um povo e sua representação divina.



Os representantes dos Estados Unidos, introduzidos por um vídeo que mostrava os principais pontos históricos do país, usufruíram fortemente da cultura americana contemporânea, principalmente no aspecto musical, abordando a alienação através do consumismo, além de outras questões.

A Itália e o Brasil exploraram a noção cultural, em uma conexão entre passado e presente, evidenciando a cultura popular por meio de danças típicas. Em contrapartida, a encenação de situação histórica se fez presente na manifestação do Reino Unido, que explorou a separação das Irlandas. Além disso, desfrutou da cultura contemporânea com alusão à banda The Beatles, ao filme V de Vingança, do diretor James McTeigue, e à obra de Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas.

Assim, como a abordagem do Reino Unido, a manifestação da delegação russa fez uma junção de determinados pontos do país, como a situação de fome, frio e miséria, na qual a população russa se encontrava antes da revolução, e a presença do Socialismo de Stalin. A apresentação expressou a forte repressão sofrida pelo povo, em contraste com o belo balé russo, reconhecido como um dos melhores do mundo. 

No encerramento da noite de apresentações e espetáculos, a Alemanha propôs uma discussão sobre o fato de pontos negativos, como alemanha nazista e Hitler, não serem usados como aspectos definidores do país e de um povo. Além disso, o grupo retratou uma dança típica alemã como forma de readquirir sua cultura. Assim, encerra-se a noite de apresentações e espetáculos da SINUSI, que concede ao público uma amostra cultural rica e diversificada.


Continue lendo ...

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Uma união dos países antes da abertura oficial da SINUSI ensino médio

Palestra para países com propósito de descontrair e aliviar a tensão teve participação dos delegados e vídeos com a finalidade de motivar competição saudável.



Durante a palestra houveram vídeos e logo após perguntas como : “Suas atitudes competitivas lhe proporcionam paz interior?” e “Quem você decide ser, campeão ou herói?” Que fizeram os participantes pensarem naquilo que querem passar durante a Sinusi.
O coach Rodrigo Córdova trabalhou também a competição de forma positiva, não como ser melhor que outra pessoa e sim melhor na função que desempenha.
E por fim todos se levantaram e fizeram um Haka, que é como um carma que jogadores fazem antes do jogo, para hoje a noite , um momento cheio de expectativas e emoções.
Continue lendo ...

A perspectiva dos professores sobre os debates do Ensino Médio e do Ensino Fundamental

Por João Pedro Cruz, repórter da Agência de Comunicação
Fotos por: Ana Carolina Ramalho, fotógrafas da Agência de Comunicação

Os professores Gabriel França e Mario deram dicas e falaram sobre suas expectativas em relação aos debates.

Ao conversar com os professores sobre os debates, eles disseram que, para o ensino médio, o comitê de crise hídrica se destaca, pois o Distrito Federal passa por uma atual crise nesse cenário. Para se destacar nesse comitê, é necessário apresentar uma proposta para salvar Brasília. Outra forma de se sobressair é apresentar, se possível, uma solução de desenvolvimento sustentável, não só para recuperar o país, mas também para promover desenvolvimento industrial.

Em relação aos alunos nos debates, o professor Mario disse que espera tentativas de acordo, soluções e tratados para as delegações se ajudarem, a fim de diminuir as acusações, os conflitos e os julgamentos. O professor também demonstrou interesse na evolução dos alunos e na interação entre eles. Ainda, afirmou que eles marcaram a data da SINUSI para depois das provas abertas, a fim de facilitar a busca de conhecimentos por parte dos alunos.

Sobre o debate em geral, o professor França diz que proporciona amadurecimento no aluno, pois gera a possibilidade e a dificuldade de pesquisar; além dos mesmos poderem ver a capacidade de criar e trazer argumentos sólidos para o evento. “A forma de interação entre os alunos é algo gratificante”, declarou Gabriel França. Já o professor Mario comentou “a SINUSI é feita de vários momentos, que envolve duas frentes, a parte pedagógica, e a parte cultural”. A partir disso, a parte pedagógica é a área dos debates, e a cultural é a área da apresentação cultural, juntamente com a ornamentação de sala. Os professores aguardam ansiosos para o início dos debates, os quais ocorrerão a partir desta terça-feira (27/06), às 14h30 na unidade de Águas Claras.

Para os professores entrevistados, a SINUSI, de forma geral, traz o amadurecimento do aluno em relação à sua percepção acerca da realidade, de si mesmo, da cultura de seu próprio país e de outros países também. A jornada de amadurecimento e de aperfeiçoamento da visão sobre o mundo foi algo dito sobre o que o debate da SINUSI ocasiona para os alunos. Segundo o professor França, “A maior contribuição da SINUSI para o aluno, é a descoberta dele mesmo”.

Dessa forma, a expectativa acerca dos debates que virão é positiva. Diante do conhecimento de mundo que o aluno irá agregar em sua construção individual de ser, nós esperamos que eles também captem a essência da SINUSI, com o espírito de coletividade e de interação social no mundo globalizado.
Continue lendo ...

terça-feira, 27 de junho de 2017

Grupo de apoio da algumas dicas para os debates da SINUSI

Por Letícia Vedder, repórter da Agência de Comunicação
Fotos por: Elisa Oliveira, fotógrafas da Agência de Comunicação



Para os calouros da SINUSI (Simulação das Nações Unidas) o integrante do grupo de apoio Rafael Braz da dicas de comportamento, posicionamento e organização. Lembrou a importância da diplomâcia, cordialidade e o respeito durante os comitês e durante o evento.

1) Como é feita a divisão das etapas do debate?
O debate é divido em duas etapas: discurso inicial, cada discurso pode ter até 3 minutos, e o debate aberto. Esse é dividido em três segmentos: moderado, não moderado e lista geral de oradores.
2) Como melhor utilizar o tempo determinado? 
Ser sucinto. O tempo parece não ser suficiente, mas quanto menos prolixo o delegado for, melhor será compreendido.
3) Como conduzir os interesses da sua delegação?
Entender muito bem a política interna e externa da sua delegação, visitar sites sobre a política do país vai facilitar.
4) Como não desfocar do tema central do comitê?
Propor uma agenda, consiste em abordar os principais assuntos do comitê e assim apresentar propostas e soluções.
5) Como planejar um posicionamento final? 
O delegado precisa moldar as suas ideias no decorrer do comitê e utilizar o que for mais concreto e condizente com os interesses de sua delegação.
Boa Sorte!
Continue lendo ...

sábado, 17 de setembro de 2016

Confira as respostas do quiz da Revista Global

      Veja abaixo as respostas certas do quiz sobre a Simulação das Nações Unidas. Se você ainda não fez o teste, corre e faz lá na Revista!


1.O que a Sinusi de 2016 tinha como tema principal?
resposta: TOLERÂNCIA 

2.Quantos anos a Sinusi completa esse ano?
resposta: DEZ

3.Quem auxiliou as delegações e representava a ONU?
resposta: GRUPO DE APOIO

4.Qual era o nome do secretário-geral da Sinusi?
resposta: WALMIR PÉREZ


Continue lendo ...